SERTÃO ARCAICO, CINEMA NOVO

a representação sertaneja na década de 1960

Autores

Palavras-chave:

Cinema. Sertão. Representação.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo problematizar a paisagem fixa que a primeira fase do Cinema Novo consolidou sobre o sertão. Ao conceber a miséria como estética, os cine-novistas deram corpo a um território feio e esfomeado, cujo poder simbólico repercute ainda hoje e, portanto, carece ser urgentemente desmistificado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Pinheiro, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em História pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora Associada UFPE, atua nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação na área de História da América Latina com ênfase em História da Formação dos Estados Nacionais, História Ambiental e História Indígena. (Texto informado pelo autor). 

Downloads

Publicado

2022-12-15

Como Citar

GUEDES, H.; PINHEIRO, P. . SERTÃO ARCAICO, CINEMA NOVO: a representação sertaneja na década de 1960. Revista Historiar, [S. l.], v. 14, n. 27, p. 220–230, 2022. Disponível em: //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/438. Acesso em: 21 abr. 2024.