“RESIDENTE NESTA CAPITAL, ORA NA CASA DE UM, ORA NA CASA DO OUTRO”:

condições de moradia das trabalhadoras domésticas em Fortaleza no início do século XX.

Autores

  • Juliana Magalhães Linhares Faculdades INTA

Palavras-chave:

Trabalho doméstico, Moradia, Migrações

Resumo

No início do século XX, Fortaleza atraía centenas de jovens em busca de trabalho doméstico e por melhores condições de vida. Vindas de outras cidades e estados, tinham como destino a casa de parentes, conhecidos e em alguns casos chegavam sem rumo. Este fluxo migratório, aliado aos períodos de estiagem, fazia com que o número de casebres e choupanas crescesse nos arredores da cidade conhecida pelo seu embelezamento. O objetivo deste artigo é discutir o contraste entre o processo de remodelamento de Fortaleza e as precárias condições de moradia das trabalhadoras domésticas. Relatos de jornais da época, códigos de posturas e imagens da cidade foram essenciais para compreender essa dinâmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Magalhães Linhares, Faculdades INTA

Professora de Educação superior há 7 anos, com pesquisa na área de História do Brasil, com enfase em História do Ceará. ATuando na linha de pesquisa de História social  da escravidão e do trabalho. Coordenação de História das Faculdades INTA.

Downloads

Publicado

2024-04-08

Como Citar

LINHARES, J. M. “RESIDENTE NESTA CAPITAL, ORA NA CASA DE UM, ORA NA CASA DO OUTRO”:: condições de moradia das trabalhadoras domésticas em Fortaleza no início do século XX. . Revista Historiar, [S. l.], v. 15, n. 29, p. 99–115, 2024. Disponível em: //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/482. Acesso em: 17 jun. 2024.