Os indígenas na contemporaneidade, buscando entender os estereótipos presentes

Autores

  • Ricardo de Moura Borges Universidade Estadual do Vale do Acaraú

Palavras-chave:

Indígenas, Contemporâneidade, Esteriótipos

Resumo

O presente artigo traz uma discussão historiográfica de como os historiadores abordam o índio no período da história do Brasil, referindo-se ao contexto de marginalização, ocupação e desterritorialização de suas terras, em detrimento de uma visão eurocêntrica da história, que perpassa os tempos e predomina até os dias atuais. Procuramos evidenciar, no artigo, a presença de pensadores como Ricouer, Fausto, Monsenhor Chaves, Borges, Nunes, dentre outros, para mostrar as rupturas e continuidades sobre os estereótipos relacionados aos povos indígenas, procurando desmontar a classificação de homogeneização deles e o processo de aculturação com a aproximação dos europeus. A Constituição de 1988, ao dar ênfase aos indígenas no Brasil, coloca em evidência o tratamento com os mesmos de forma mais eficaz e mostra uma ruptura com um pensamento segundo o qual os indígenas eram incapazes de entender a sociedade, apresentando uma nova visão que anteriormente não era atribuída aos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo de Moura Borges, Universidade Estadual do Vale do Acaraú

Graduado em Filosofia pelo Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí - ICESPI (2015); Graduado em História pela Universidade Federal do Piauí (2016); Pós Graduado Lactu Sensu em Filosofia pela Estácio de Sá (2018); Mestrando em Sociologia pela Universidade Estadual do Vale do Acaraú.

Downloads

Publicado

2020-06-26

Como Citar

BORGES, R. de M. Os indígenas na contemporaneidade, buscando entender os estereótipos presentes. Revista Historiar, [S. l.], v. 12, n. 22, p. 92–107, 2020. Disponível em: //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/334. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Tema Livre