Revista Historiar //historiar.uvanet.br/index.php/1 <p>A Diretoria do&nbsp;<strong>Centro de Ciências Humanas da Universidade</strong><strong> Estadual Vale do Acaraú-UVA. Sobral-CE</strong>, em parceria com o<strong> Curso de História</strong>, dispõem para a comunidade acadêmica a&nbsp;<strong>Revista Historiar</strong>, cujo objetivo é criar oportunidades para a divulgação das pesquisas do corpo docente das áreas de humanidades da UVA e de outras IES de ensino e pesquisa. Face à sua concepção inicial, a Revista Historiar estará voltada para a divulgação (on-line) dos resultados das pesquisas desenvolvidas por profissionais da&nbsp;História, dentro de suas atividades acadêmico-científicas.</p> pt-BR Revista Historiar 2176-3267 <p>No caso de inserção de imagens, a responsabilidade pelos trâmites relativos aos direitos de reprodução será exclusivamente dos autores.<br><em>Declaro ser autor (a), ou licenciado(a), ou cessionário (a) ou possuo autorização prévia e expressa dos autor(a) expressa, seja por instrumento oneroso ou gratuito, com finalidade de utilização e reprodução das imagens constantes em minha obra que será publicada na&nbsp; Revista Historiar, ISSN 2176-3267, no âmbito do Portal de Periódicos da UVA.</em><br>No caso de não existência de permissão prévia de utilização de obras de terceiros ou hipótese de limitação dos Direitos Autorais - Art. 46 da Lei brasileira de Direitos Autorais - o declarante, ciente do teor dos artigos 24 e 29 do referido diploma normativo, assume toda a responsabilidade por eventual violação de Direitos Autorais.</p> Ensino de História e novas tecnologias //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/435 Ana Amélia Rodrigues de Oliveira Copyright (c) 2022 Ana Amélia Rodrigues de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-06-17 2022-06-17 14 26 3 6 Um repositório digital para ensinar e aprender História //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/425 <p>O BaObAH é um repositório digital para agregar objetos de aprendizagem que possam ser utilizados por professoras(es) no ensino básico. Neste artigo, refletimos como o portal pode ser pensado como local de aprendizagem histórica.</p> Sonia Maria de Almeida Ignatiuk Wanderley Vanessa Spinosa Copyright (c) 2022 Sonia Maria de Almeida Ignatiuk Wanderley, Vanessa Spinosa https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-03 2022-04-03 14 26 7 18 Domínio(s) do digital como competência //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/426 <p>O presente artigo pretende articular o Ensino de História a aspectos da Cultura Digital e compreender como tal perspectiva se apresenta nas competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Por meio de uma pesquisa bibliográfica e documental, embasamos uma discussão sobre a inserção desses termos no documento. Destacamos as possibilidades curriculares que o uso das tecnologias digitais podem ter como aliadas para o professor/pesquisador de História, salientando uma sala de aula enquanto local de produção de conhecimentos históricos escolares, fomentadora de uma aprendizagem Histórica significativa para os educandos.</p> Aline Vanessa Locastre Arnaldo Martin Szlachta Junior Copyright (c) 2022 Aline Vanessa Locastre https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-14 2022-04-14 14 26 19 36 “Nazismo de esquerda” e Fake History //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/428 <p>Esta pesquisa vale-se do audiovisual, das redes sociais à Netflix, para discorrer sobre o fenômeno da pós-verdade no contexto da história pública e do ensino de história. A partir de vídeo postado pela Embaixada da Alemanha de Brasília e pelo Consulado-Geral da Alemanha no Recife, em que brasileiros afirmaram que “o nazismo é de esquerda”, busca mapear como os conceitos de “esquerda” e “direita” são usados em documentários que abordam o nazismo para explicar essa doutrina política.</p> Alexandre Freitas Campos Sonia Maria de Almeida Ignatiuk Wanderley Copyright (c) 2022 Alexandre Freitas Campos, Sonia Maria de Almeida Ignatiuk Wanderley https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-14 2022-04-14 14 26 37 57 Imperialismo digital //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/427 <p>O presente artigo pretende investigar o uso educacional do game Sid Meier’s Civilization VI, através da análise da representação e simulação das sociedades americanas originárias e do processo colonizador.</p> Diego Ferreira Rands Copyright (c) 2022 Diego Ferreira Rands https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-14 2022-04-14 14 26 58 72 O youtube no ensino de história //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/431 <p>O presente artigo tem como objetivo apresentar aos professores de História do Ensino Médio algumas possibilidades de uso de canais do <em>Youtube</em> como fonte em sala de aula para a aprendizagem histórica dos alunos.</p> Ana Amélia Rodrigues de Oliveira Copyright (c) 2022 Ana Amélia Rodrigues de Oliveira https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-05-27 2022-05-27 14 26 73 92 História social da pobreza no Cariri na segunda metade do século XIX //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/339 <p>Na segunda metade do século XIX a região do Cariri, localizada no interior cearense, foi sendo representada como um “Oásis” no meio do sertão, lugar de prosperidade, terras férteis e de riqueza, uma espécie de salvação para as pessoas que viviam nas regiões circunvizinhas assoladas pelas secas, é assim que se dá a representação do Cariri no periódico o Araripe. Entretanto, vale ressaltar que essas terras eram controladas por uma minoria, a classe senhorial, que detinham tanto o monopólio das terras como também o controle sobre a população pobre livre/ escravos que ali viviam e eram sujeitas a diversas formas de trabalho. Desta forma, vamos analisar como o cariri vai sendo retratado como o “oásis” do sertão e o “império” da produção nesses discursos, diante disso importa explicar a desigualdade social que ali existiu, saindo da versão tradicional proposta pela classe senhorial, - de que a pobreza seria gerada pela propensão à vadiagem e à ociosidade por parte dos trabalhadores. A desigualdade foi gerada no decorrer do processo de ocupação, consolidação do modelo colonizador e posteriormente, com o desenvolvimento da economia caririense.</p> Antônia Marciana Silva Holanda Copyright (c) 2022 Antônia Marciana Silva Holanda https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-12 2022-04-12 14 26 93 105 O Cinema como signo de progresso //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/374 <p>No presente artigo, analisamos de que modo o processo de modernização que a cidade de Cajazeiras-PB vivenciou no início do século XX, esteve relacionado com a presença do cinema na cidade.</p> José Antônio da Silva Neto Viviane Gomes de Ceballos Copyright (c) 2022 José Antônio da Silva Neto, Viviane Gomes de Ceballos https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-03-24 2022-03-24 14 26 106 122 “Eu me reconheço aqui...” //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/367 <p>O texto a seguir traz experiencias de uma aplicação de oficina envolvendo imagens e memórias, afim de captar as inúmeras emoções despertadas ao visualizar cada cena da cidade, uma época em que ainda não existiam.</p> Francisco de Sousa Furtado Copyright (c) 2022 Francisco de Sousa Furtado https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-02 2022-04-02 14 26 123 132 Likes, dislikes e views: reflexões sobre linguagens e narrativas dos meios virtuais para a pesquisa histórica //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/383 <p><span class="TextRun BCX0 SCXW64325846" lang="PT-BR" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW64325846" data-ccp-parastyle="paragraph" data-ccp-parastyle-defn="{&quot;ObjectId&quot;:&quot;4d84bc91-93e5-45e7-86f9-624256d8c0cb|96&quot;,&quot;ClassId&quot;:1073872969,&quot;Properties&quot;:[134233117,&quot;true&quot;,134233118,&quot;true&quot;,134233614,&quot;true&quot;,201340122,&quot;2&quot;,201341983,&quot;0&quot;,268442635,&quot;24&quot;,335559705,&quot;1046&quot;,335559740,&quot;240&quot;,469769226,&quot;Times New Roman&quot;,469775450,&quot;paragraph&quot;,469777841,&quot;Times New Roman&quot;,469777842,&quot;Times New Roman&quot;,469777843,&quot;Times New Roman&quot;,469777844,&quot;Times New Roman&quot;,469778129,&quot;paragraph&quot;,469778324,&quot;Normal&quot;]}">Este trabalho é fruto de uma pesquisa de doutorado em curso que investiga a recepção do filme "Marighella” na internet. Devido ao interesse no tema, o artigo busca sistematizar algumas reflexões sobre os usos, desafios e possibilidades das redes virtuais na pesquisa histórica, não deixando de lado o momento contemporâneo de radicalismos e polarizações no Brasil.</span></span></p> Ygor Pires Monteiro Copyright (c) 2022 Ygor Pires Monteiro https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-10 2022-04-10 14 26 133 149 A doença como punição e o doente como culpado //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/378 <p>Resumo: Pretendemos com este ensaio delinear uma incipiente noção acerca de como a passagem epidêmica do Tracoma no Ceará entre os anos de 1928 e 1940 contou com a construção de diversos significados, sobretudo a partir dos médicos do Centro Médico Cearense que atuaram no tratamento da doença na região do Vale do Cariri</p> Pablo Victor Santiago Lima Copyright (c) 2022 Pablo Victor Santiago Lima https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-05-14 2022-05-14 14 26 150 161 Por uma História Local //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/343 <p>Este estudo tem como locus a disciplina de Estágio Supervisionado II -Ação Educativa Patrimonial, do curso de Licenciatura em História, e os enlaces que a mesma possui com a História Local. Objetiva-se, analisar os mecanismos que entrecruzam a teoria e a prática na abordagem da História Local, por meio da problematização dos relatos de experiência do professor Gustavo D’Almeida Lobo (Departamento de História - Fafidam/UECE), que tem como mote metodológico o recorte temporal os anos de 2010 a 2020, período em que o docente exerceu atividades educativas no ensino superior. Para isso, é considerado basilar constituir análises sobre a relação entre prática e teoria, possibilitando construir análises sobre a História Local como proposta desafiadora para o Ensino de História. Os relatos de um decano de experiências possibilitam perceber em que medida o local se relaciona com outras experiências históricas, podendo ser elas locais e/ou macro. E assim, realizar conexões entre o conhecimento histórico (História Escrita) e o cotidiano (História Vivenciada). Portanto, cabe afirmar que a experiência docente possibilita um rico cenário de reflexão e debate, em que a teoria e a prática são mecanismos indissociáveis do fazer docente.</p> Luciana Meire Gomes Reges Copyright (c) 2022 Luciana Meire Gomes Reges https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-05-14 2022-05-14 14 26 162 178 Entrevista com Marcella Albaine Farias da Costa //historiar.uvanet.br/index.php/1/article/view/429 <p>Nesta entrevista, realizada de forma remota devido à distância geográfica, a professora Ana Amélia Rodrigues de Oliveira conversou com a professora Marcella Albaine Farias da Costa sobre a sua formação profissional, sua trajetória de pesquisa na área das tecnologias digitais e do Ensino de História e sobre os desafios desse campo de estudos.</p> Ana Amélia Rodrigues de Oliveira Marcella Albaine Farias da Costa Copyright (c) 2022 Ana Amélia Rodrigues de Oliveira, Marcella Albaine Farias da Costa https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 2022-04-07 2022-04-07 14 26 179 189